» Categoria: Em forma e bem nutrida

Boeuf bourguignon da Julia Child

O filme Julie & Julia, lançado em 2009, é uma comédia dramática que toda amante da cozinha adora. A história relata os primórdios da vida da famosa chef de cozinha, Julia Child, em contraste com a vida da jovem Julie Powell, que se desafia a cozinhar todas as 524 receitas do livro de Julia em um ano. Foi uma delícia assistir ao filme.

A intenção de Julia Child é popularizar a comida francesa nos Estados Unidos. Em uma cena icônica do filme, que mostra Julia ainda jovem, em preto e branco, ela ensina o passo a passo de uma de suas receitas mais conhecidas: o boeuf bourguignon.

Receita de Boeuf Bourguignon
Ingredientes
  • 500 g de fraldinha bovina em cubos pequenos
  • 400 ml de vinho tinto seco
  • 50 g de bacon picado
  • 100 g de champignon fresco
  • 50 g de farinha de trigo
  • 30 ml de azeite
  • 8 cebolas pequenas
  • 2 dentes de alho
  • tomilho a gosto
  • 20 g de manteiga
Preparo
  1. Frite o bacon no azeite e reserve.
  2. Doure a carne na mesma gordura e reserve.
  3. Refogue as cebolas inteiras e o alho, retire da panela e reserve.
  4. Retorne a carne para a panela junto com a cebola, o alho e o bacon. Adicione o vinho.
  5. Tampe e deixe cozinhar por uma hora.
  6. Derreta a manteiga em uma frigideira e refogue o champignon.
  7. Acrescente o champignon à carne e deixe cozinhar destampado por mais meia hora.
  8. Quando a carne estiver macia, adicione o tomilho e engrosse o caldo com a farinha de trigo diluída em água.
  9. Sirva com arroz ou pão italiano.

Fonte: Internet Net Virtua

bisou bisou,

Vivi



Azeite: OITO marcas são reprovadas em avaliação da Proteste

Os benefícios do azeite extravirgem para a saúde e dieta são inúmeros. Por isso, ele virou figurinha carimbada no cardápio de quem segue um estilo de vida saudável. Mas, de acordo com a Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor – antes temperar a sua salada, você deve tomar cuidado com os produtos que está comprando. Depois de analisar vinte marcas de azeite, oito foram reprovadas. Destas oito, quatro estavam adulteradas com outros óleos vegetais e quatro não eram realmente extravirgem.

Os produtos que não podem ser considerado azeites são Pramesa, Figueira da Foz, Tradição e Quinta d’Aldeia. Eles foram eliminados do teste após a análise em laboratório comprovar modificação na composição. Isso significa que foram adicionados ao azeite outros óleos vegetais, o que não é permitido por lei. Na prática, ao comprar esse produto você não está recebendo os benefícios que o verdadeiro extravirgem oferece.

ISSO SIGNIFICA QUE ESSES AZEITES NÃO TINHAM APENAS A GORDURA PROVENIENTE DA AZEITONA – O QUE OS CLASSIFICA COMO EXTRAVIRGENS – E COLOCA EM RISCO UMA DAS PROPRIEDADES PRIMORDIAIS DO AZEITE: FAVORECER A SAÚDE.

 Além disso, quatro marcas não podem ser classificadas como extravirgem. São elas: Qualitá, Beirão, Carrefour Discount, Filippo Berio
Isso significa que, na hora da compra, você paga mais caro por um extravirgem, mas leva um produto diferente para casa.
Apesar desses problemas, cinco marcas que haviam sido avaliadas como virgens no teste de 2013, agora apresentam um azeite  de fato extravirgem: La Española, Carbonell, Serrata, Gallo e Borges.
O melhor azeite, segundo a análise, é o da marca Cocinero. Ele foi escolhido pela instituição como O Melhor do Teste e A Escolha Certa. Autêntico azeite extravirgem, o produto apresentou excelente qualidade, além do melhor custo-benefício entre os avaliados,  apesar de sua embalagem de plástico (garrafas de vidro escuro tendem a conservar melhor o alimento).  O produto ainda precisa de adequações no rótulo, uma vez que não informa a data de envase.
OBSERVAÇÕES:

“Todos os azeites de oliva têm como matéria-prima a azeitona. O que os diferencia é o número de etapas de refinamento pelas quais passam. Isso altera a acidez do óleo, ou seja, a qualidade. Quanto menor for seu índice de acidez mais benefícios ele terá”, explica Daísa Mara Pinhal, nutricionista do Oba Hortifruti, em São Paulo.

Dos três tipos, o que tem menor acidez (até 1%) é o extravirgem, por isso, aposte nele! Esse óleo possui substâncias que combatem o colesterol ruim. Também impede o depósito de gordura abdominal, afinando a cintura e afastando o risco de doenças cardíacas e diabetes. Só não pode abusar na quantidade, pois uma colher de sopa contém cerca de 108 calorias! O ideal é consumir duas colheres de sopa por dia: uma no almoço e outra no jantar.

E como deve ser usado? É recomendável utilizá-lo em pratos que não vão ao fogo, como, saladas, pães, queijos e outros petiscos. Se aquecido, esse óleo pode perder suas propriedades benéficas.

“Já para pratos quentes, como carnes, o azeite virgem é a melhor opção. Mesmo sendo um pouco mais ácido que o extra (até 2%), ao ser aquecido, seu aroma é ressaltado e seu sabor é mais adocicado”, afirma a especialista.

E o tipo refinado? Melhor usá-lo em frituras. Ele tem mais de 2% de acidez; porém, ainda assim, é mais saudável que o óleo tradicional de soja, por exemplo. Mas cá entre nós, o melhor mesmo é não consumir frituras, não é? Assim você manterá uma vida mais saudável.

Resumindo:

O extravirgem é obtido na primeira moagem das olivas. O virgem, na segunda ou terceira moagem
QUANTO MENOS ÁCIDO MELHOR. O extravirgem tem teor de acidez de até 1%, o virgem entre 1,1 e 2%. Se a acidez é maior que 3,3% ele é impróprio para consumo e tem que ser refinado. Obs: Acidez aqui se mede pela concentração de ácido oleico.

Fonte: Abril (http://goo.gl/cH3Hor)

Azeite extravirgem na prevenção de muitas doenças

Previne o aparecimento das doenças cardiovasculares, diminuindo os níveis de colesterol LDL (mau colesterol); os níveis de colesterol HDL (bom colesterol) aumentam e os níveis de triglicéridos diminuem.

Melhora o funcionamento do aparelho digestivo; reduz a acidez gástrica, tendo portanto, uma ação protetora contra úlceras e gastrites; é a gordura melhor tolerada pelo estômago.

Previne a obstipação (prisão de ventre) quando é tomado em cru e em jejum.

Exerce um efeito protetor e tónico sobre a epiderme.

Melhora as funções metabólicas e cerebrais, devido a que os ácidos gordos favorecem a formação de membranas celulares, e a formação de tecido cerebral.

Reduz a deterioração dos tecidos graças ao seu alto teor em antioxidantes (compostos fenólicos e vitamina E), diminuindo o envelhecimento prematuro.

Favorece a absorção de cálcio estimulando, assim, o crescimento ósseo.

Melhora a esperança e qualidade de vida em geral

 

Como escolher um bom azeite de oliva?

Os relevantes critérios que devem realmente ser levados em consideração na hora de escolher no supermercado um azeite de oliva de boa qualidade são: a embalagem, a data de validade, aprocedência, a origem, a conservação e por último a acidez.

– Embalagem: a considerável importância da embalagem do azeite é justificada pelos inimigos do azeite que são: o ar, a luz, a umidade e o calor. A exposição a luz e ao ar é um fator prejudicial a qualidade do produto, e por isso deve-se dar preferência as garrafas de vidro escuro. Evite garrafas com rolhas de cortiça, pois podem permitir a entrada de ar. As latas, que foram substituídas nos últimos anos, nem sempre possuem uma boa vedação.

O contato de uma substancia gordurosa com o ar leva ao ranço, uma alteração no sabor que se torna amargo, e no odor que fica forte. E com o objetivo de manter a qualidade do azeite, sempre escolha uma garrafa escura e que não esteja exposta a forte luminosidade, já que a luz também acelera a oxidação do produto.

– Data de validade: quanto mais novo um azeite melhor, por ser tratar de um produto feito de um ingrediente fresco. Um azeite novo terá as melhores propriedades da azeitona conservadas.

– Procedência e origem: muito azeites são produzidos em um local e embalados em outro. Na embalagem é obrigatório conter essa informação. Tenha a curiosidade e a atenção de verificar de onde vem o azeite que está comprando. Os principais países da União Europeia (UE), produtores de azeites, desenvolveram legislações que atestam a origem geográfica do produto e utilizam em seus rótulos a nomenclatura “DOP” – Denominazione di Origine Protetta. Portanto, os azeites que possuem “DOP” são um bom indicativo na hora de escolher o produto.

– Conservação no ponto de venda e em casa: como dito acima, a luz e o calor são grandes inimigos do azeite, que influenciam negativamente na sua qualidade. Uma vez expostos em um local com muita luminosidade e quente, saiba que o azeite não será mas o mesmo.  Em casa, após aberta a garrafa, devemos consumi-la em até 20 dias para preservarmos assim os aromas e sabores do azeite.

– Acidez: de uma maneira errada ela é levada em consideração como um fator isolado determinante na qualidade do azeite. É importante compreender que essa porcentagem de acidez do azeite não tem nenhuma relação com a acidez de um limão ou de qualquer outro cítrico ou é sinônimo de azeite suave. É o fator de menor importância na escolha de um azeite, e apenas em um cenário onde temos dois azeites extra virgem, com as mesmas características, a acidez poderá ser um fator de decisão.

Qual a coloração ideal?

Ser mais brilhante ou mais amarelo não significa que o azeite é melhor. A cor não determina a qualidade do azeite! Ele pode ser amarelo claro, dourado, amarelo esverdeado ou verde. A única diferença é que foram produzidos com azeitonas mais verdes ou maduras ou de diferentes espécies.

Os azeites podem ser ainda turvos ou transparentes sem que isso indique diferenças de qualidade. O fator cor é tão irrelevante que nas degustações os copos são opacos, para que o avaliador não seja influenciado pelo aspecto estético. A única cor que influencia é a da embalagem. As piores garrafas são as transparentes, porque a luz oxida os óleos.

Cozinhar com azeite faz mal?

Não, se um simples cuidado for tomado. O azeite de oliva só perde suas propriedades benéficas e se transforma em gordura saturada ao atingir temperaturas superiores a 170ºC.  Isso é facilmente percebido durante o cozimento. O chamado ponto de saturação do azeite ocorre quando ele começa a soltar fumaça. E o mesmo acontece com qualquer óleo vegetal superaquecido. O óleo de soja, por exemplo, começa a soltar fumaça a partir dos 210º C. Não há porque acreditar que azeite seja pior à saúde do que outra gordura superaquecida.

Esse post contou com a colaboração da Azeitóloga Ana Paula Beloto.

Referências bibliográficas: Associação Brasileira de produtores, importadores e comerciantes de Azeite de Oliveira, International Olive Council, Azeites de Espanha.

Fontes: http://www.sofisticado.com.br/

bisou bisou,

Vivi



Encontre o melhor nutricosmético para você

Dietas, exercícios, cremes… Há várias maneiras para alcançar a tão desejada forma. Mas, além de ajudar a eliminar aqueles quilinhos a mais, os nutricosméticos têm outras funções. Eles ajudam a combater queda de cabelo, unhas quebradiças, auxiliam na firmeza da pele, entre outros benefícios. A dermatologista Mônica Aribi explica o funcionamento das pílulas da beleza, os componentes mais usados e para qual tipo de problema cada um funciona.

Qual a função dos nutricosméticos?
Eles são cosméticos em apresentação oral, ou seja, eles são ingeridos pelos pacientes e possuem função de agir na pele como um cosmético faria. As substâncias presentes nesses nutricosméticos são combinadas para provocar um efeito de embelezamento e saúde à pele.

Como eles agem?
De acordo com os seus componentes. Uns podem melhorar a textura, flacidez da pele, outros podem fortalecer as unhas e cabelos.

Substituem cremes e tratamentos estéticos?
Não, ele é um coadjuvante nos tratamento completo do paciente. E eles não substituem, porque na verdade, a dose das substâncias é baixa, não é um comprimido com altas doses que fariam a vez de todos os outros cuidados. Acredito que eles representam de 10% a 20% do tratamento completo.

Precisa de indicação médica?
Sim, precisa porque existem substâncias que não podem ser tomadas por tempo prolongado, outras não podem ser tomadas em conjunto, são incompatíveis. Existem diversos cuidados necessários para a ingestão dessas pílulas e só o médico pode indicar qual a melhor opção para cada paciente.

Quais são as contraindicações?
As contraindicações são alergias aos componentes, é preciso estar atento também a problemas hepáticos, pois os rins são os responsáveis por metabolizá-los. Gestantes também devem evitar. Tirando essas situações, se o médico indicar, todos podem tomar a partir dos 25 anos.

Os resultados surgem a partir de quando?
Com três meses de uso os resultados começam a aparecer.

Pode tomar diferentes pílulas ao mesmo tempo?
Pode, mas não é indicado. O indicado é ingerir uma pílula com tudo que você precisa. Tomar várias com diversos componentes pode sobrecarregar as doses e causar reações.

Quais são as substâncias mais usadas nos nutricosméticos?
Resveratrol, zinco e biotina.

Para quem quer rejuvenescer, quais componentes precisam ter?
Colágeno, vitamina C e resveratrol.

E para saúde dos cabelos?
Biotina

Para reduzir medidas? 
Toda a família da xantina.

Nutricosméticos: auxiliam em vários problemas (Foto: Divulgação)

1. Exímia Temporize, FQM Derma, R$ R$ 120,18
2. Fermeté, Innéov, R$ 120 (preço sugerido)
3. Cápsulas de gelatina, Naiak, R$ 35
4. Cabelo e unhas, Oenobiol, R$ 80 (preço sugerido)
5. Cap Solution – Colágeno/Firmeza e Elasticidade, Pharmapele, R$ 50

Algumas substâncias presentes nos nutricosméticos e suas finalidades:
1. Colágeno: Indicado para pessoas que apresentam flacidez precoce. Ele age para melhorara firmeza da pele.
2. Licopeno: ele ajuda na proteção da pele em relação aos raios solares. Indicado para pessoas que sofrem muita exposição solar, pessoas que praticam esportes ao ar livre, pessoas que gostam de sol.
3. Resveratrol: ela ajuda a evitar a produção de radicais livres e é bastante indicado para atletas.Também evita o envelhecimento precoce.
4. Astaxantina: é usada no tratamento de retenção de líquido, ela melhora a circulação e é indicado para pessoas que tendem a ficar muito inchadas.
5. Ceramidas: é usada no tratamento de pele seca, melhora a hidratação natural da pele.
6. Ácido Hialurônico: hidratante mais potente e reestruturador da pele. Indicado pra quem está apresentando precocemente rugas finas.
7. Vitamina C: é indicado para pacientes com tendência a manchas e também age diminuindo os radicais livres.
8. Vitamina D: melhora a imunidade da pele, deixa mais resistente a infecções, etc.
9. Biotina: ajuda no tratamento de queda de cabelo e fortalecimento das unhas.
10. Zinco: é usado no tratamento de seborreia, cabelo oleoso e pele oleosa.

Fonte: Revista Marie Claire

bisou bisou,

Vivi



Dieta da proteína: enxuga 7 quilos em 14 dias

Direto de Harvard, esta dieta sacode o metabolismo, fazendo você emagrecer até 7 quilos em 14 dias. E ainda deixa o corpo durinho e a pele mais firme

Há uma nova luz no fim do túnel para as mulheres que querem enxugar gordura e não conseguiram ter sucesso com nenhum programa de emagrecimento. Após anos estudando todas as variações das dietas de proteína, o expert em obesidade George L. Blackburn, da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, deu seu aval a uma releitura desse método, que se utiliza, basicamente, de suplementos de proteínas não produzidas pelo organismo e, portanto, tidas como essenciais.

Por aqui, o programa alimentar americano foi adaptado pela médica homeopata Márcia Jablonka Kelman e pela nutricionista Letícia Okamoto, ambas da clínica Biodiet, em São Paulo. “Nosso plano, batizado de dieta das proteínas de alto valor biológico, atende aos hábitos alimentares da brasileira”, conta Letícia.

Carboidratos, proibidos na maioria das dietas proteicas, são nosso principal combustível. Sem eles, o organismo entra em processo de cetose, isto é,consome os estoques de gordura para gerar energia. Daí o emagrecimento. O problema é que esse tipo de programa provoca desânimo, tontura e até lapsos de memória. Bem menos radical do que a original, criada pelo dr. Atkins, a dieta das proteínas de alto valor biológico reduz a ingestão de carboidratos, em vez de aboli-los pura e simplesmente, assim como limita o consumo de gorduras, no lugar do passe livre. E – eis o ponto principal – privilegia as proteínas das carnes, do ovo (sobretudo a clara), leite e derivados e, especialmente, do whey protein – suplemento extraído do soro do leite, que oferece uma proteína de alto valor biológico, ou seja, de fácil absorção.

Veja também: Suplementos sob medida para a mulher

Um dos motivos dessa dieta apostar na proteína é o efeito termogênico, que faz acelerar o metabolismo. É que o nosso organismo tem uma dificuldade 30% maior de digerir proteínas do que processar gorduras e carboidratos. E isso acelera a queima das gordurinhas estocadas. Elas ainda prolongam a sensação de saciedade, dão firmeza à pele, contribuem para a manutenção da massa magra (ou aumento de músculos, se você fizer exercício com peso).Conclusão: mais do que torrar um montão de calorias, as proteínas evitam oefeito platô, em que a perda de peso estaciona depois de um tempo. Mas a dose deve ser controlada. “A nova dieta concentra as proteínas numa quantidade que não sobrecarrega os rins e não provoca efeitos colaterais, como queda de cabelo, anemia e desmaios, entre outros. E é benéfica sobretudo para as pessoas que não respondem aos programas de emagrecimento hipocalóricos”, diz Márcia.

E mais: Varie o whey protein para acelerar a dieta

Reforçando: as proteínas devem ser magras! É por isso que você vai encontrar o whey protein várias vezes no cardápio. “Esse suplemento tem menos gordura que a carne vermelha e o frango”, diz Letícia. Mas que fique claro: carnes em geral são bemvindas na dieta, pois estão lotadas das proteínas amigas do corpo enxuto. Porém, mesmo os cortes magros carregam gordura saturada. Ao privilegiar o consumo de whey protein, você afasta esse ingrediente, que é nocivo sobretudo para o coração.

Se você precisa de um aliado na hora de pesquisar os valores nutricionais dos alimentos, aposte no Aplicativo Atitude Boa Forma. Lá, você encontra uma lista com cinco mil alimentos.

Dieta de fases

A dieta das proteínas de alto valor biológico é dividida em três fases. A mais decisiva é a primeira: dura 14 dias e tem apenas 1000 calorias, mas derrete até 50% do peso que está em excesso. Se você tem 1,60 metro de altura e pesa 70 quilos, pode eliminar até 7 logo no início. Mas é importante fazer exercício moderado especialmente nos três primeiros dias, quando o organismo pode se ressentir da falta de carboidrato) e regularmente para chegar nesse resultado. Você precisa emagrecer menos: de 3 a 4 quilos? Faça a primeira fase só até atingir essa meta.

A fase 2, seguida por cinco semanas e menos restritiva (começa com 1100 calorias e termina com 1500), vale por uma reeducação alimentar. Alguns itens antes proibidos voltam ao cardápio, mas só é liberado um tipo por semana. O ideal é priorizar verduras, legumes, castanhas, carnes e leite magros – alimentos com baixo e médio índice glicêmico. Quando esse índice é alto, o açúcar sobe rapidamente na corrente sanguínea, o que resulta no aumento da insulina. Em grande quantidade, esse hormônio faz o corpo estocar gordura. Na fase 3, todos as alimentos são liberados, desde que consumidos com controle. Lembre-se: o sucesso depende de você ser fiel aos princípios da dieta. Quanto mais tempo conseguir domar a balança, mais fácil será manter o ponteiro no lugar certo.

Veja também: Suplementos para ganhar músculos, pique e eliminar as gordurinhas

Fase 1: seca até 7 kg

Em 14 dias, este cardápio com 1000 calorias, pode fazer você comemorar a perda de até 50% do peso excedente. Um exemplo? Se você mede 1,60 metro e pesa 70 quilos, consegue eliminar cerca de 7 quilos. Mas tem de seguir as regras direitinho.

Café da manhã

Opção 1: Shake proteico: 1 copo (200 ml) de leite desnatado e 2 col. (sopa) de whey protein (no sabor de sua preferência). Use mixer ou liquidificador para misturar bem o produto + 2 fatias médias de queijo minas frescal light 0% de gordura + 2 fatias de presunto magro
Opção 2: 1 pote (100 g) de iogurte desnatado e 2 col. (sopa) de whey protein (no sabor de sua preferência). Use mixer ou liquidificador para misturar o produto + 1 queijinho fundido light + 4 fatias de peito de peru light
Opção 3: 1 taça de musse de morango com whey protein + 1 ovo cozido ou mexido

Lanche da manhã

Opção 1: 1 pote (100 g) de iogurte desnatado (adoçante, opcional).
Opção 2: 2 fatias médias de queijo minas frescal light 0% de gordura + 2 fatias de peito de peru.
Opção 3: 1 xíc. (chá) de café com leite desnatado e adoçante

Almoço

Opção 1: 1 filé (120 g) de frango grelhado + Salada mista: agrião, alface, espinafre, pepino, rabanete e brotos de feijão e alfafa, à vontade
Opção 2: 1 filé (120 g) de filé-mignon grelhado + Salada verde: alface, rúcula e agrião, à vontade
Opção 3: Salada completa: 4 col. (sopa) de atum e folhas verdes de sua preferência, à vontade

Lanche da tarde

Opção 1: Shake proteico: 1 copo (200 ml) de leite desnatado e 2 col. (sopa) de whey protein (no sabor de sua preferência). Use mixer ou liquidificador para misturar bem o produto
Opção 2: 1 pote (100 g) de iogurte desnatado e 2 col. (sopa) de whey protein (no sabor de sua preferência)
Opção 3: 1 taça de gelatina cremosa de morango com whey protein (veja receita abaixo.

Jantar

Opção 1: Omelete: 1 gema e 2 claras com 2 xíc. (chá) de brócolis cozidos no vapor
Opção 2: 1 filé (200 g) de peixe (pescada, merluza, badejo) ou 1 peito (120 g) de frango grelhado + Salada de folhas verdes de sua preferência, à vontade
Opção 3: 1 filé (120 g) de frango grelhado + 1 prato (fundo) de sopa de creme de brócolis 

Fase 2: estimula novos hábitos

Esta é a etapa que reduz as restrições alimentares e libera, gradualmente, alimentos antes proibidos, como fruta seca, pão integral, grãos e batata – um tipo a cada sete dias. Começa com 1100 calorias e termina com 1500. Em cinco semanas, você enxuga os 50% que faltavam perder dos extras. O cardápio básico é o mesmo da fase 1, com algumas alterações.

 

1ª SEMANA

. Beba 2 shakes proteicos por dia (café da manhã e/ou lanches da manhã ou da tarde).

. No café da manhã, acrescente à opção escolhida 1 porção de fruta, a escolher: 1 maçã ou 1 banana-prata ou 1 pera ou 1/3 de papaia ou 1 fatia média de mamão ou 1 fatia média de melão ou 1 laranja ou 5 morangos ou 1 kiwi + 1 fatia de pão integral ou 1 pão francês integral ou 1 fatia de pão sírio pequeno.

. No almoço e no jantar, inclua na opção escolhida verduras e legumes à vontade (acelga, abóbora, abobrinha, couve-flor, berinjela, tomate, cenoura).
2ª SEMANA

. Beba 2 shakes proteicos por dia (café da manhã e/ou lanches da manhã ou da tarde).

. No lanche da manhã e da tarde, acrescente à opção escolhida 1 porção de fruta, a escolher.
3ª SEMANA

. Beba 2 shakes por dia (café da manhã e/ou lanches da manhã ou da tarde).

. No almoço, acrescente à opção escolhida 1 porção de carboidratos (3 colheres/sopa de arroz integral ou 1 pegador de macarrão integral ou 2 fatias de pão integral) ou 1 porção de grãos (3 colheres/sopa de lentilha, ervilha, feijão ou feijão-branco ou grão-de-bico.
4ª SEMANA

. Beba 2 shakes proteicos por dia (café da manhã e/ou lanches da manhã ou da tarde).

. No almoço, acrescente à opção escolhida 1 porção de carboidratos/amido: 2 batatas pequenas assadas ou cozidas ou 1/2 mandioca ou 1 pedaço de mandioquinha ou 2 col. (sopa) de abóbora + 1 porção de frutas: 1 banana-prata ou 1 maçã ou 1 pera ou 1/3 de papaia ou 1 fatia média de mamão ou 1 fatia média de melão ou 1 laranja ou 5 morangos ou 1 kiwi.
5ª SEMANA

. Beba 2 shakes proteicos por dia (café da manhã e/ou lanches da manhã ou da tarde).

. No café da manhã, acrescente à opção escolhida 1 fatia de mussarela e 1 col. (chá) de margarina ou manteiga light.

 

Fase 3: mantém o peso

Agora que você alcançou sua meta, tudo pode, até doce (óbvio, moderadamente). Nesta etapa, o whey protein não é mais imprescindível, mas os demais alimentos com proteínas de alto valor biológico continuam no cardápio, que tem 1500 calorias – uma boa medida para você manter para sempre o peso conquistado.

Café da manhã

Opção 1: 1 pote (100 g) de iogurte light + 2 col. (sopa) de granola light + 1 fatia de pão integral com 1 fatia de peito de peru e 2 fatias de queijo branco

Opção 2: 1 xíc. (chá) de café com leite desnatado e adoçante + 1 pão francês sem miolo com 1 col. (sopa) de queijo cottage + 1 fruta (banana, ameixa vermelha)

Opção 3: 1 copo (200 g) de suco light de fruta + 1 pão francês integral com 1 fatia de mussarela light e 1 fatia de peito de peru + 1 pote (100 g) de iogurte light

Lanche da manhã

Opção 1: 3 nozes + 3 damascos + 1 queijinho fundido light

Opção 2: 1 fruta (maçã, pera, kiwi) + 1 pote (100 g) de iogurte light

Opção 3: 2 torradas integrais com 1 col. (sopa) de queijo cottage

Almoço

Opção 1: Salada mista: 1 prato (sobremesa) de agrião, rúcula, alface e tomate + 1 pires (chá) de brócolis refogados + 4 col. (sopa) de arroz integral + 3 col. (sopa) de feijão + 1 filé (120 g) de peito de frango grelhado + 1 rodela de abacaxi

Opção 2: Salada mista: 1 prato (sobremesa) de tomate, alface-americana e repolho-roxo + 1 pires (chá) de escarola refogada + 3 col. (sopa) de purê de batata + 2 col. (sopa) de ervilha + 1 filé (120 g) de carne magra (alcatra, patinho) grelhada + 1 fatia de manga

Opção 3: Salada mista: 1 prato (sobremesa) de cenoura e beterraba raladas, pepino e alface-crespa+ 1 pires (chá) de abobrinha refogada + 3 col. (sopa) de arroz (integral, de preferência) + 3 col. (sopa) de grão-de-bico + 1 filé (120 g) de salmão grelhado + 1 fruta (1 fatia de melão ou de abacaxi)

Lanche da tarde

Opção 1: 6 amêndoas + 1 caixinha (100 ml) de suco de soja light

Opção 2: 1 barrinha de cereal integral light + 1 pote (100 g) de iogurte light

Opção 3: 1 fatia de pão integral com 1 fatia de mussarela e 1 fatia de peito de peru

Jantar

Opção 1: 1 prato (fundo) de sopa de legumes com carne ou frango (100 g) e macarrão integral (opcional) + 1 laranja

Opção 2: Omelete: 1 gema + 2 claras, tomate picado, cebola e cebolinha + 1 pires (chá) de legumes cozidos (brócolis, acelga, couve-flor, berinjela) + 1 pera

Opção 3: 1 prato (sobremesa) de folhas verdes, tomate, cenoura ralada, pepino, erva-doce) ou 2 xíc. (chá) de legumes cozidos (brócolis, couve-flor, acelga, abobrinha) + 1 filé (120 g) de peito de frango ou peixe assado cozido ou grelhado + 1 fruta (maçã, pera)

Ceia (opcional)

Opção 1: 2 fatias de queijo branco com 1 col. (chá) de geleia diet ou sem açúcar

Opção 2: 1 xíc. (chá) de leite desnatado com 1 col. (sobremesa) de achocolatado light

Opção 3: 1 pote (100 g) de iogurte light com 1 col. (sobremesa) de aveia

Tempero da salada: 1 col. (sopa) de azeite extravirgem, vinagre ou limão e pouco sal.
Beba no mínimo 2 litros de água por dia, sempre entre as refeições.

Liberados
Alimentos que podem ser consumidos nas fases 1, 2 e 3:  Whey protein (proteína isolada do soro do leite),  clara de ovo, 3 ovos inteiros por semana, leite e iogurte desnatado ou light, queijo minas frescal light 0% gordura, ricota light, presunto light, peito de peru light ou frango, carne vermelha magra (patinho, lagarto, rosbife), carne branca (frango sem pele) e coelho, condimentos (vinagre, ervas aromáticas, alho, limão e sal em dose moderada), peixe (anchova, sardinha, salmão, atum, cação, pescada, tilápia e Saint Peter) e agrião, alface, brotos de feijão e alfafa, pepino, espinafre, brócolis, couve-flor, rabanete.
Proibidos
Alguns voltam a entrar no cardápio na fase 2, outros apenas na 3: Açúcar branco e mascavo, farinhas refinada e integral, massa, doce,
sorvete (nem os de fruta), pão (nem os integrais), batata, mandioca, mandioquinha, batata-doce, cenoura, beterraba, abóbora, tomate, azeitona, sucrilhos, granola, aveia, queijo amarelo e embutidos em geral (salame, mortadela), refrigerante (nem os diet ou light), água com gás, fruta seca (passas, damasco, ameixa), oleaginosa (castanha, noz, amêndoa) e gelatina diet.

Fonte: Revista Boa Forma

bisou bisou

Vivi



REAOX Q10

Eu sempre quis tomar um produto que me hidratasse por dentro. Sei que não resolve nada passar hidratante por fora, se por dentro está faltando hidratação.  A Nívea usa muito o Q10 em seus cremes. Ainda não testei o produto, mas talvez ele hidrate de dentro para fora.

Vamos ao que diz o fabricante:

Um antioxidante com exclusiva combinação de Coenzima Q10, Luteína, Vitaminas e Minerais. Indicado para a prevenção do envelhecimento celular.

Reaox® Q10, o novo suplemento alimentar anti-aging da Biolab, atua diretamente no interior das células, combatendo os radicais livres que promovem o envelhecimento celular.

Reaox® Q10 é um produto à base da coenzima Q10, que garante atuação mais profunda na prevenção do envelhecimento celular da pele e chega ao mercado em caixas com 30 cápsulas gelatinosas.

O produto combina a coenzima Q10 com luteína, vitaminas e minerais. A coenzima Q10 é um potente antioxidante presente dentro das células que atua contra os radicais livres, moléculas envolvidas no processo de envelhecimento da pele. A luteína FloraGlo®, membro da família dos carotenoides encontrados em algumas plantas, atua como excelente antioxidante.

Complementando a fórmula de Reaox® Q10 estão às vitaminas A, C e E, além dos minerais selênio e zinco, que são importantes para o bom funcionamento do organismo, atuando em sinergia e complementando a ação antioxidante da Coenzima Q10 para uma melhor atividade anti-radical livre.

VOCÊ SABIA?

A coenzima Q10 é um nutriente já existente no organismo, que atua dentro da célula, no combate aos radicais livres. A questão é que esta coenzima entra em declínio, principalmente a partir da segunda década de vida, favorecendo o processo de envelhecimento cronológico da pele.

Reaox® Q10 promove a suplementação deste nutriente, atuando diretamente na célula, inibindo, assim, o envelhecimento cutâneo, estimulando os fibroblastos e preservando o conteúdo de colágeno na pele. É uma tecnologia de última geração em prol da saúde e jovialidade da sua pele!

Assim que testar, venho falar para vcs

bisou bisou

Vivi



Teatox: o detox com chás

Segundo a nutróloga Paula Vasconcelos, do Espaço Volpi, os chás, em geral, “ajudam na hidratação do organismo e com pouquissímas calorias (exceto se forem adoçados), auxiliam na eliminação de líquidos, no bom funcionamento do intestino e fornecem antioxidantes que ajudam a prevenir diversas doenças“. Quando seguem o princípio do teatox, então, as misturas de ervas, flores e frutas prezam por efeitos diuréticos, digestivos, antioxidantes e termogênicos.

“Na desintoxicação, podemos citar alguns chás com propriedades diuréticas, como o hibisco e cavalinha, que ajudam a eliminar o excesso de líquidos, e consequentemente, desintoxicam o organismo”, explica Paula, “na queima de calorias, alguns chás com propriedades termogênicas são o chá verde, vermelho, de canela e de gengibre”. Entram nos blends também alguns ingredientes funcionais que estão na moda. A goji berry desidratada, o rooibos e a flor de sabugueiro, por exemplo, são poderosos antioxidantes. Outros ingredientes, como a sene, são laxativos e devem ser consumidos com cuidado e supervisão, pois podem causar de cólicas a problemas nutricionais.

Outros fatores que interferem nos efeitos do chá são sua temperatura e o quão refinados são os componentes. “A vantagem do chá quente é que as propriedades antioxidantes e efeitos terapêuticos das ervas estão preservados, mas bebidas consumidas excessivamente quentes podem provocar irritação da mucosa do sistema digestório, e, embora ainda não comprovado, estudos sugerem aumento na prevalência de câncer de estomago. Por outro lado, bebidas geladas ajudam a acelerar o metabolismo, já que nosso organismo precisa aumentar o gasto para ‘aquecer’ a bebida até ela se igualar à nossa temperatura”.

Já os chás soltos são melhores que os em saquinho, como explica Paula: “os chás mais rústicos passam por um processo industrial menor, logo tendem a ser mais ricos em antioxidantes e preservar melhor as propriedades das ervas”. 

Para quem quer apostar na limpeza do organismo, a sugestão é seguir o programa por, no minimo, uma semana e, no máximo, quatro. O consumo frequente de chás, “a princípio, não [traz problemas]“, afirma Paula, “se for um curto período de tempo. É lógico que é importante conhecer o histórico de saúde da pessoa para que a mesma não tenha contra-indicações aos componentes do chá”. Outro fator importante que a nutróloga destaca é que as demais refeições ofereçam nutrientes adequados para equilibrar a dieta.

PureMe Tea (€24.97); Skinny Detox (£19.90); BB Detox, da Kusmi Tea (€16,10); infusor de coração, na TalChá (R$ 54,90); bule, zara Home (R$ 179); Detox, da Kusmi Tea (€16,10); xícara, coleção Pássaros do Brasil, da Tania Bulhões (R$ 1.850, o conjunto de quatro); difusor de casinha, na TalChá (R$ 29,90) (Foto: Reprodução)

Algumas marcas, cada uma com suas especificações, vendem os kits de um ou mais chás para render durante todo o período. Aqui no Brasil, é possível encontrar sob encomenda a PureMe Tea e a Skinny Detox – que a redação da Vogue testou e aprovou! –, mas há também o BB Tea, da famosa Kusmi Tea, além de versões em saquinhos das marcas nacionais.

Uma boa ideia é também criar sua própria mistura nos mercados que vendem as ervas por quilo. Ingredientes sempre presentes que podem entrar na mistura são: chá Pu-erh e flor de jacinto (digestivos e termogênicos); flor de jasmim, chá verde, cidra, garcinia cambogia, citrus aurantium, gengibre, erva-mate e guaraná (termogênicos); erva-cidreira, urtiga, goldenrod (digestivos e diuréticos); hortelã e dente de leão (digestivos); rooibos, goji berry e flor de sabugueiro (ricos em antioxidantes que ajudam a prevenir doenças) e cavalinha, bétula, erva de aveia verde, hibisco, flor de limão, mil-folhas e centáurea (diuréticos). 

Como consumir

Para que você realmente perceba os benefícios os chás devem fazer parte da rotina diária, já que não existem milagres quando o assunto é boa forma: No programa teatox são utilizados os chás duas vezes por dia, mas você pode consumir entre duas ou quatro xícaras. Aconselha-se não tomar mais que cinco, o que deve prevalecer é o bom senso. Prefira utilizar o preparo nos intervalos entre as principais refeições.

Não substitua refeições

A advertência mais importante para quem quer aderir ao teatox é não usar os chás para substituir as principais refeições (almoço, jantar e café da manhã). Ao fazer isso, há um grande risco da pessoa ficar com muita fome e descontar em outros alimentos, perdendo o foco do emagrecimento.

A maneira de fazer a infusão também é importante: Você deve aquecer a água e desligar o fogo quando levantar fervura. Só então acrescente as folhas, abafe com uma tampa por cerca de 10 minutos e então coe e consuma.

Os especialistas garantem que não há diferença nutricional entre a versão quente e a fria, basta tomar o cuidado de consumir no mesmo dia. Você ainda pode misturar tranquilamente dois chás para ter mais benefícios, como o de hibisco (febre entre as famosas!), que melhora o inchaço e a retenção de líquidos, com uma das opções termogênicas indicadas acima.

 

De qualquer forma, o melhor é sempre consultar um médico, inclusive para se informar sobre a mistura das ervas.

bisou bisou

Vivi

Fonte: Vogue



Página 1 de 1412345678910...Última »