Tag Archives: Filme

Boeuf bourguignon da Julia Child

O filme Julie & Julia, lançado em 2009, é uma comédia dramática que toda amante da cozinha adora. A história relata os primórdios da vida da famosa chef de cozinha, Julia Child, em contraste com a vida da jovem Julie Powell, que se desafia a cozinhar todas as 524 receitas do livro de Julia em um ano. Foi uma delícia assistir ao filme.

A intenção de Julia Child é popularizar a comida francesa nos Estados Unidos. Em uma cena icônica do filme, que mostra Julia ainda jovem, em preto e branco, ela ensina o passo a passo de uma de suas receitas mais conhecidas: o boeuf bourguignon.

Receita de Boeuf Bourguignon
Ingredientes
  • 500 g de fraldinha bovina em cubos pequenos
  • 400 ml de vinho tinto seco
  • 50 g de bacon picado
  • 100 g de champignon fresco
  • 50 g de farinha de trigo
  • 30 ml de azeite
  • 8 cebolas pequenas
  • 2 dentes de alho
  • tomilho a gosto
  • 20 g de manteiga
Preparo
  1. Frite o bacon no azeite e reserve.
  2. Doure a carne na mesma gordura e reserve.
  3. Refogue as cebolas inteiras e o alho, retire da panela e reserve.
  4. Retorne a carne para a panela junto com a cebola, o alho e o bacon. Adicione o vinho.
  5. Tampe e deixe cozinhar por uma hora.
  6. Derreta a manteiga em uma frigideira e refogue o champignon.
  7. Acrescente o champignon à carne e deixe cozinhar destampado por mais meia hora.
  8. Quando a carne estiver macia, adicione o tomilho e engrosse o caldo com a farinha de trigo diluída em água.
  9. Sirva com arroz ou pão italiano.

Fonte: Internet Net Virtua

bisou bisou,

Vivi



Filme MILAGRES DO PARAÍSO

Assisti ao filme “Milagres do Paraíso” e me emocionei com a história que inspirou o roteiro do filme.

A trama tem o seu roteiro adaptado do livro “Three Miracles From Heaven“, escrito por Christy Beam, onde ela conta o acontecimento que mudou a vida da sua família.

Com apenas 12 anos Anna Beam levava a sua vida entre idas e vindas a hospitais, para tratar um distúrbio digestivos diagnosticado aos seus 5 anos de idade, como incurável, uma doença que fazia com que seus músculos intestinais não funcionassem. Mas um acidente mudou a sua vida para sempre.

Anna brincava no quintal de casa com suas duas irmãs, quando ela caiu em um tronco oco de uma árvore, em uma queda de 10 metros. O resgate da garotinha foi extremamente complicado e levou cerca de 5 horas, e devido a gravidade da queda ela foi removida de helicóptero já inconsciente para o hospital Cook Children’s, na cidade de Fort Worth, no estado do Texas, Estados Unidos.

Quando as tragédias na vida de Anna e de sua família só pareciam aumentar, a jovem acordou sem sofrer nenhum dano decorrente da queda, e nos dias seguintes ela contou as seus pais o que viu enquanto estava inconsciente:

“Eu fui ao céu quando estava dentro da árvore. Eu vi o céu, e vi minha Mimi que morreu, por isso sabia que estava no céu. Eu vi Jesus e sentei em seu colo”, disse a garotinha.

Christy ficou preocupada com a história da filha e a levou para realizar novos exames, temendo por algum tipo de dano cerebral, e foi surpreendida por um milagre. A doença incurável de Anna havia simplesmente sumido. Ainda no hospital a jovem começou a comer alimentos sólidos pela primeira vez, e a jovem disse que já sabia que estava curada:

“Acredito que estou curada porque quando fui para o céu perguntei a Jesus se eu poderia ficar com ele e ele disse: Não Annabel, eu tenho planos para você na Terra”, afirmou a menininha.

A família Beam será interpretada por Jennifer Garner, Kylie Rogers, Martin Henderson e Brighton Sharbino, confira os personagens reais e seus interpretes.

Sobre a autora do livro em que o longa foi baseado: Christy Wilson Beam tem 42 anos e, antes de ser escritora, é esposa e mãe dedicada. Ela e o marido, Kevin, são os pais de Abigail, 15, Annabel, 13, e Adelynn, 11. A família vive em Burleson, Texas (EUA). Apesar de ter se formado em Educação, o que levou Christy a escrever seu primeiro livro foi a maravilhosa experiência de Annabel que, tendo problemas crônicos de saúde desde os 4 anos, foi completamente curada aos 9 anos após sofrer um acidente e ter uma experiência real no paraíso. Em 2013, Christy registrou essa história nas páginas do livro Milagres do Paraíso. A decisão de escrever o livro, porém, não foi dela. Christy conta que ouviu Deus lhe dizer para relatar o fato, ao que ela pensou: “Ah, Deus, que engraçado o Senhor achar que eu posso escrever um livro”. Porém, assim que Christy compreendeu a importância do assunto, arrumou um notebook e logo as palavras começaram a fluir. Ao recontar a experiência de sua família, Christy espera que os leitores sejam encorajados a crer que Deus é fiel em todo momento, e que sua constante fidelidade é, em si, um milagre.

Recomendo o filme! Esta incrível história nos mostra o quanto podemos crer no impossível quando caminhamos com Deus e colocamos nossa fé e esperança Nele, que é especialista em fazer o extraordinário acontecer na vida de quem Nele crê!

bisou bisou,

Vivi



Filme “A Grande Beleza”

Drama vitorioso do Oscar de melhor filme estrangeiro. De uma plasticidade estupenda, o filme traz um recorte da alta sociedade de Roma, dominada pela breguice e por uma intelectualidade de botequim. Concentra-se em Jep Gambardella (o excelente Toni Servillo) a síntese da decadência. Irônico e ácido, Gambardella, de 65 anos bem vividos e autor de um único livro, faz entrevistas esporádicas para uma revista e mora numa magistral cobertura em frente ao Coliseu. Orbitam em torno dele poucos amigos e muitos sanguessugas. O filme possui o clima onírico das fitas de Fellini e uma alusão ao personagem de Marcello Mastroianni em A Doce Vida. Trata-se de um raro casamento entre a beleza da arquitetura e a riqueza das palavras.

(Resenha por Miguel Barbieri Jr, da Veja)

Nas primeiras cenas vemos um grupo de turistas no Capitólio. Um deles desmaia. Excesso de calor? Pode ser. Naquela cidade, a temperatura é infernal durante o verão. Mas pode ser outra coisa também. Como se sabe, o excesso de beleza é fatal para algumas pessoas. Uma visita ao Museu do Vaticano, ou a simples visão da Cidade Eterna num dia de luz clara, podem conduzir ao desmaio, a um mal-estar indefinido, a um desfalecimento diante do êxtase. Afinal, estamos em Roma. E numa Roma especial, transfigurada – a de A Grande Beleza, de Paolo Sorrentino. Roma, lembra o protagonista, não é para principiantes. Loba velha, ela pode te devorar.

É o que pode estar acontecendo a Jep Gambardella, interpretado por Toni Servillo. Gambardella não é somente um cronista social, ele é “o” cronista, o escriba da burguesia em festa. Aquele que conhece todas as pessoas “que contam”, e é por elas conhecido. Talvez temido, talvez desprezado, ou odiado, nessa combinação bastante comum da vida social, Jep é um carro-chefe da mundanidade.

Após as cenas iniciais, há o corte para uma sequência barulhenta, que, logo descobrimos, se passa no apartamento de Gambardella, um Pallazzo cujo terraço tem vista para o Coliseu. Na festa, uma pequena multidão de deslumbrados, “toda” a Roma. Muito ruído, música alta, bebida à rodo, algaravia cortante e constante. Um excesso em cujo centro, desconfia-se, more o vazio. Será esse o tom do filme – uma dialética entre o excesso e o vácuo. É desse modo, parece, que Sorrentino toma o pulso do seu país. Uma grande cultura subterrânea, ruínas que hoje sustentam uma elite cafajeste e oca.

Jep Gambardella é um bobo dessa corte. Ao mesmo tempo, aproveita-se dela. Fez sua vida à custa da camada social que, no fundo, despreza. Escora-se num feito do passado, a publicação de um livro que teve relativo sucesso 40 anos atrás, para sustentar seu ego no presente. Mas esse recurso parece cada vez menos eficaz quando o personagem tem 65 anos de idade e portanto perdeu o direito às ilusões. No entanto, Gambardella continua cegamente a seguir sua rotina de noites em recepções sociais, acordar tarde, sair cada vez com uma mulher diferente, ter sempre a frase mais cáustica na boca, etc.

Parece também evidente que Sorrentino estabelece um elo forte com o grande cinema italiano dos anos 1960. É fácil ver em A Grande Beleza a reelaboração atualizada do clássico A Doce Vida, de Federico Fellini, ou diálogo com a chamada Trilogia da Incomunicabilidade, de Michelangelo Antonioni, em especial com A Noite. Naquela época Fellini e Antonioni percebiam que a sociedade organizada no pós-guerra daria com os burros n’água. Não havia saída honrosa para o super consumismo que já se anunciava, para o espetáculo tornado permanente, para o aviltamento dos ricos em busca de um prazer sem fim. Essa percepção, numa sociedade como a italiana, remete obrigatoriamente ao declínio do Império Romano, que tem no festim de Trimalquião, descrito por Petrônio em Satyricon (filmado por Fellini), seu símbolo mais forte da queda.

A Grande Beleza é, assim, um filme da decadência. Sobre o esplendor e a miséria da decadência, porque o ocaso de uma civilização pode ser tanto assustador como fonte de inspiração.

(crítica de Luiz Zanin, do Estadão)

Este é o filme indicado pelo Prof. Luiz Felipe Pondé, do curso “Beleza, raízes e razões”, na FAAP.

bisou bisou,

Viviane



“Yves Saint-Laurent” o FILME

“Yves Saint-Laurent” foi dirigido por Jalil Lespert e leva às telonas a emocionante trajetória do estilista Yves Saint Laurent. A cinebiografia francesa, por sua vez, traz Pierre Niney a interpretar o grande estilista (de personalidade complexa e difícil), com o aval de Pierre Bergé, ex-companheiro do designer, na profissão e vida pessoal. Uma atuação tocante e, sim, digna de comoção!

 longa-metragem conta com, além da interpretação de Pierre Niney, a de atores como Guillaume Gallienne e Charlotte Le Bom. Portanto, seja o telespectador aficionado por moda, ou não, a obra vale ser vista, a acompanhar a carreira de Saint Laurent desde 1958, enquanto trabalhava com Monsieur Dior, passando pelo início de suas próprias criações ao boom de obras marcantes, como o vestido Mondrian e o Smoking.

bisou bisou,

Viviane



Sugestões de presentes para cinéfilos – Natal 2012

Coleção Tim Burton (7 DVDs) - R$ 85,30

Box DVD O Poderoso Chefão + Árvore Genealógica (4 DVDs) - R$ 89,90

DVD BBC – Coleção Charles Dickens – (10 DVD’s) - R$ 129,90

DVD – Coleção William Shakespeare - R$121,41

Coleção Sissi – Edição Definitiva (5 DVDs) - R$ 111,06 

Coleção Jane Austen (7 DVDs) – Jane AustenR$ 159,90

Coleção Almodovar (4 DVDs) - R$ 44,91

Coleção Woody Allen – (20 DVDs) - R$ 116,91

Realmente é bem difícil encontrar um presente que agrade a pessoa em cheio e não custe tão caro para o nosso bolso. Se a pessoa em questão tiver vários interesses na vida, fica mais fácil agradá-lo. E se um dos interesses for cinema, então fica a dica acima. As coleções estão com ótimos preços. Tenho certeza que você vai acertar em cheio. Fiz uma pesquisa rápida e coloquei os melhores preços. Para ir direto ao site de compras, basta clicar em cima dos preços.

bisou bisou,

Viviane



Ouça a música completa do tema de ‘OO7′: “Skyfall” por Adele, com letra e tradução

Eu coloquei aqui no blog os primeiros 90 segundos do tema do novo filme de James Bond, mas a partir de hoje o clipe está disponível na íntegra dos seus 4 minutos e 50 segundos de duração.

A cantora inglesa Adele apresentou nesta sexta-feira (5) o tema oficial de “007 – Operação Skyfall”, o próximo filme da saga de James Bond a ser lançado nos cinemas.

O dia de divulgação da música coincide com o 50º aniversário da estreia de “007 Contra o Satânico Dr. No”, a primeira produção da franquia.


O clipe mantém a estética dos filmes de Bond e tem início com o rosto da intérprete inglesa Adele, com uma melodia lenta ao piano e a letra impressa sobre um fundo de diferentes cores.

Adele começa cantando “This is the end, hold your breath and count to ten” (“Este é o fim, prenda sua respiração e conte até dez”), enquanto a intensidade da música aumenta progressivamente, à medida que se somam novos instrumentos e um coro feminino.

O vídeo, que não inclui nenhuma cena do novo filme, chega ao fim com os versos “Let the Skyfall” (“Deixe o céu cair”).

A 23ª produção da saga será lançada no próximo dia 26 e terá novamente o ator inglês Daniel Craig no papel de James Bond.

Agora estou ansiosa para assistir ao filme!

bisou bisou,

Viviane



Ouça a canção de Adele,”Skyfall”, para o novo filme de James Bond

A canção “Skyfall”, tema principal do novo filme de James Bond e que é interpretada pela cantora britânica Adele, foi divulgada nesta quarta-feira (3), na internet, adiantando a apresentação oficial, marcada para sexta-feira (5).

Um clipe da música, de aproximadamente um minuto e meio, pode ser visto no YouTube. O tema é um registro mais suave da cantora, uma balada romântica diferente de “Rolling in the deep”, música que impulsionou Adele à fama. “Escute meu coração machucado de novo“, canta Adele em uma melodia calma, com a qual pretende apresentar todo o “drama e mistério” que envolve o espião 007, vivido por Daniel Craig pela terceira vez, em “Operação Skyfall”, segundo informa o jornal “The Guardian”.

Os coros e a melodia de “Skyfall” de Adele seguem a mesma linha dos temas que tradicionalmente acompanharam as aventuras do popular espião. A música, cuja apresentação oficial está prevista para a madrugada de sexta-feira, foi composta pela cantora britânica, de 24 anos, e por Paul Epworth, que produziu e também escreveu “Rolling in the deep”, o maior sucesso de Adele.

A cantora britânica segue os passos de Jack White e Alicia Keys, que se encarregaram do tema principal de “A Quantum of Solace”, e Chris Cornell, que cantou na primeira aparição de Daniel Craig como 007, em “Cassino Royale”.

Entre as grandes figuras da música que participaram dos filmes de James Bond estão Tom Jones, Shirley Bassey e Duran Duran. Adele é uma das cantoras de maior êxito atualmente e vendeu 22 milhões de cópias de seu álbum “21″.

 
Me apaixonei pela música!
bisou bisou,
Viviane



Orly “Dark Shadows” Nail Color Collection e NYX “Dark Shadows” Inspired Makeup Palette

Tim Burton e Johnny Depp se uniram novamente para um filme divertido e peculiar com base na série de TV de 1960 “Sombras escuras”.

Imagem que circulou na imprensa na década de 1960, época em que a produção original foi exibida.

Confira os produtos Dark Shadows, com certeza os produtos farão a gente se sentir como um membro da família Collins!
Se eu estivesse enterrada há dois séculos, o primeiro lugar que eu gostaria de ir ao sair do túmulo é ao salão de beleza!rs
A Orly preparou uma coleção nova de esmaltes, que enfatiza alguns dos temas principais da comédia de humor negro.
São quatro cores, com nomes relacionados aos grandes temas da comédia de humor negro:

Grave Mistake – vermelho macabro
Buried Alive – castanho acobreado
Mysterious Curse – roxo
Decades of Dysfunction – rosa cremoso

A NYX Cosmetics criou um exclusivo “Crimson Amulet”, uma paleta inspirada no filme.

 

Confira no site da marca: www.nyxcosmetics.com
Sinopse do filme:

No ano de 1752, Josué e Naomi Collins, junto com o filho Barnabas, deixaram Liverpool, na Inglaterra, para começar uma nova vida na América. No entanto, atravessar um oceano não foi suficiente para fazê-los escapar da misteriosa maldição que atormenta a família. Duas décadas se passam e Barnabas (na versão jovem interpretado por Thomas Mcdonell) torna-se um playboy inveterado, muito rico e poderoso. O jovem parece ter praticamente o mundo aos seus pés, ou pelo menos a cidade de Collinsport, no Maine, onde vive, até que comete um erro ao seduzir Angelique Bouchard (Eva Green) e ferir seu coração. Sendo a moça uma bruxa poderosa, ela decide vingar-se de Barnabas e condena-o a um destino pior que a própria morte: transforma o rapaz em um vampiro e o enterra vivo.

No filme, ambientando em 1972, já adulto Barnabas (Johnny Depp) é libertado de seu túmulo, surgindo em um mundo muito diferente do que conheceu. Ele retorna a sua cidade para retomar suas propriedades, mas só encontra ruínas. Neste cenário, ele também encontra os remanescentes de sua família, cada um guardando seus próprios segredos obscuros. A matriarca, Elizabeth Collins Stoddard (Michelle Pfeiffer), contratou uma psiquiatra, Dra. Julia Hoffman (Helena Bonham Carter) para ajudar Barnaba a tratar o seu vício em sangue humano.

Na mesma mansão, também vivem Roger Collins (Jonny Lee Miller), irmão de Elizabeth, e seus filhos, a adolescente rebelde Carolyn Stoddard (Chloe Moretz), filha de Elizabet, e o novato Gulliver McGrath vive David, filho de Roger.O mistério se estende para além da família, atingindo também o zelador Willie Loomis (Jackie Earle Haley) e a nova babá de David, Victoria Winters (Bella Heathcote).

Seth Grahame Smith (autor do livro Abraham Lincoln: Vampire Hunter e da série The Hard Times of R.J. Berger) revisou o roteiro original, escrito por John August (Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas).

Já estou curiosa para assistir ao novo filme em que Johnny Depp deixa aflorar o seu lado lúdico, maluco e muito exótico. Os filhos dele devem achar o pai um herói por fazer tantos papéis envolvendo fábulas e histórias incríveis. Esta é a oitava produção de Burton em que Johnny Depp participa.

Deve chegar aos cinemas brasileiros no dia 22 de junho.

bisou bisou,

Viviane



Anne Hathaway canta no 1º trailer de “Les Miserables” com Hugh Jackman

Les Misérables (Os Miseráveis) é uma das principais obras escritas pelo escritor francês Victor Hugo, publicada em 3 de abril de 1862 e está entre as obras mais famosas do século XIX.

A história passa-se na França do século XIX entre duas grandes batalhas: a Batalha de Waterloo (1815) e os motins de junho de 1832. Concentra-se principalmente nas lutas do protagonistas – ex-condenado Jean Valjean que procura a sua redenção, o romance aproveita também as consequências das ações deste para criticar a sociedade. Examina a natureza do bem, mal e da lei, numa história arrasadora que expõe a história da França, arquitetura de Paris, política, moral filosófica, lei, justiça, religião e os tipos e natureza de amor romântico e familiar. Hugo foi inspirado pela vida real do criminoso/polícia François Eugène Vidocq, e dividiu as suas personalidades pelas duas personagens principais do seu romance. Les Misérables é conhecido por muitos através das numerosas produções teatrais e adaptações para o cinema e Tv – in wikipedia / traduzido e adaptado por Lumi-chan

O meu primeiro contato com a história foi através de um livro que ganhei de uma tia e tenho até hoje. Em seguida pude assistir a uma produção cinematográfica em 1998 com os extraordinários atores Liam Neeson, Geoffrey Rush, Uma Thurman, and Claire Danes. Em seguida tive a alegria de assistir ao musical no Brasil e foi fenomenal. Músicas lindas, com intérpretes perfeitos que, na minha opinião, é um dos melhores musicais que o nosso país já produziu. Sou fã de musicais e fui a quase todas as produções que tivemos em nosso país.

É uma poderosa história que narra uma história feita de arrependimento, perdão, bondade e uma incessante procura pela verdade.

Fiquei emocionada ao ver a atriz Anne Hathaway cantar, durante o primeiro trailer de “Les Miserables”, a clássica canção “I Dreamed A Dream”! Foi por causa desse filme, aliás, que Hathaway “raspou” o cabelo. Cada dia que passa mais eu me encanto com a profissão de atriz e ator. A oportunidade que esses atores têm de viver personagens memoráveis é algo extraordinário. É um privilégio de dar inveja.

No elenco do filme estão Hugh Jackman, Anne Hathaway, Amanda Seyfried, Russel Crowe, entre outros.

O filme é dirigido por Tom Hooper, o mesmo de “O Discurso do Rei”.

O longa estreia em dezembro nos EUA e em março do próximo ano no Brasil.

Release Date: December 14, 2012

Studio: Universal Pictures
Director: Tom Hooper
Screenwriter: William Nicholson
Genre: Drama / Musical
MPAA Rating: Not Yet Rated
Cast: Russell Crowe, Liam Neeson, Amanda Seyfried, Anne Hathaway, Hugh Jackman, Helena Bonham Carter, Sacha Baron Cohen, Eddie Redmayne

Imperdível!!!

bisou bisou,

Viviane



Página 1 de 41234